Abertura: Workshop sobre Subprodutos da Desinfecção da Água
Prof. Doutora Maria de Fátima Alpendurada
Discurso de Abertura
 
O projecto que o IAREN tem em curso designado CIPE – Centro de Investigação de Poluentes Emergentes, co-financiado pelo QREN ON.2, prevê a organização de workshops de divulgação dos problemas emergentes da contaminação ambiental. È neste contexto que estamos aqui presentes neste  evento onde será apresentada a temática “Subprodutos de Desinfecção da Água para Consumo Humano: estado da arte e implicações na saúde humana”. Houve a preocupação de trazer até nós duas das principais especialistas europeias nesta área de conhecimento: respectivamente da Veolia Environment, França, e da Universidade de Turim, Itália. 
 
Sendo tão vasto o número de subprodutos de desinfecção da água já identificados, estão a ser desenvolvidos esforços no sentido de proceder à sua seriação considerando a perigosidade para o consumidor. A revisão períodica que é feita das Directivas europeias incorporará os conhecimentos gerados neste domínio.
Nos Estados Unidos da América, a EPA já impõe a monitorização dos níveis de trihalometanos, ácidos haloacéticos, bromato e clorito nas águas tratadas enquanto que, até ao momento as Directivas Europeias apenas exigem a monitorização de trihalometanos e bromato.
 
Para o estudo destes DBPs exige-se um elevado investimento, quer em equipamento quer em técnicos altamente qualificados, pelo que as entidades nacionais com responsabilidade na produção, distribuição e regulação do sector da água de consumo humano, deveriam ponderar num maior envolvimento com o IAREN. De facto o maior investimento já foi feito: equipamento e meios técnicos altamente especializados, resta-nos sentar à mesa e desenhar o melhor modelo a adoptar: ERSAR, Àguas de Portugal, Administrações Regionais de Saúde e Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Àguas, poderiam ser os interlocutores de forma a tirar proveito em termos de rapidez de resposta e de racionalização de custos. Esta sinergia  ajudaria a uma  contenção de despesas por parte das entidades indicadas e a uma rentabilização do investimento feito pelo IAREN. Esta Associação sem fins lucrativos e pessoa colectiva de utilidade pública, é uma entidade independente a quem estão cometidos fins estatutários que transcendem o benefício dos seus Associados e visam sem dúvida o interesse da comunidade. Tem sido preocupação permanente incrementar o conteúdo inovador e a profundidade dos estudos a que se tem dedicado, e que explicam a sua aceitação, proximidade e articulação com diversas Universidades estrangeiras e Instituições de Referência  em diferentes Países Europeus, como demonstra a presença do IAREN como membro da Direcção da NORMAN ASSOCIATION.
A este percurso não terá sido indiferente o largo apoio das entidades ligadas ao meio hídrico e da gestão da água para consumo humano, expressa através das cartas de conforto, aquando da nossa candidatura à operação ON.2. 
Para terminar, um agradecimento muito especial à CCDR-Norte e à Comissão directiva do programa ON2, por terem acreditado no nosso projecto e financiado a nossa candidatura.
 
 
 
 
A minha leitura sobre o Workshop
 
No dia 13 de Julho, teve lugar na sede do IAREN em Matosinhos um workshop subordinado ao tema “Subprodutos da desinfecção da água para consumo humano: estado da arte e implicações para a saúde humana”
Esta iniciativa insere-se num conjunto de actividades de transferência de conhecimento do projecto CIPE – Centro de Investigação de Poluentes Emergentes, co-fnanciado pelo QREN ON.2, e contou com a presença das Entidades Nacionais com responsabilidades na Produção, Distribuição e Regulação do sector da água para consumo humano e Estudantes da áera do ambiente.
A sessão de abertura foi presidida pelo Senhor Vice-Presidende da CCDR-Norte, Prof. Paulo Gomes, fazendo também parte da mesa, a Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR), a Administração Regional de Saúde – Norte (ARS-Norte), os Serviços Municipalizados de Saneamento Básico de Viana do Castelo, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e a Presidente da Direcção do IAREN.
No uso da palavra o Sr. Prof. Paulo Gomes realçou o papel da CCDR-Norte como motor da Inovação na Região Norte e promotora de sinergias entre os polos do conhecimento científico e técnico e o tecido empresarial, capacitando a Região Norte para melhor responder aos desafios actuais e do futuro. Sublinhou ainda o facto do percurso do IAREN, desde a sua criação, se ter vindo a inserir nesta linha de actuação.
Este workshop constituiu uma excelente oportunidade para abordar no mesmo local conceitos, opiniões e reflexões sobre a gestão e preservação/melhoria da qualidade da água resultando numa mais valia e enriquecimento para os participantes.
 
 
Maria de Fátima Alpendurada
Presidente da Direcção do IAREN