IAREN - Instituto da Água da Região Norte
Um Centro de Tecnologia Avançada
O IAREN – Instituto da Água da Região Norte foi fundado em 27 de Março de 1991, sendo uma Associação sem fins lucrativos, que congrega a Universidade do Porto, Autarquias, Serviços Municipalizados, Administrações Regionais de Saúde e Empresas Privadas.

O IAREN tem por objecto o exercício da actividade científica e tecnológica em Investigação e Desenvolvimento Experimental (I e DE) e outras Actividades Cientificas e Técnicas (OAC e T), no domínio da qualidade da água.

Foi causa primeira do lançamento do IAREN, a necessidade de construir uma estrutura capaz de, a tempo, responder às exigências impostas pela entrada em vigor da legislação comunitária e nacional, no domínio da qualidade da água, atendendo à inexistência de capacidade laboratorial, técnica e estrutural adequadas.
 
São Associados Fundadores do IAREN:
- Universidade do Porto
- Administração Regional de Saúde do Porto
- Administração Regional de Saúde de Vila Real
- Associação de Municípios de Terra Quente Transmontana
- Câmara Municipal de Amarante
- Câmara Municipal de Arcos de Valdevez
- Câmara Municipal de Castelo de Paiva
- Câmara Municipal de Chaves
- Câmara Municipal de Lousada
- Câmara Municipal de Mogadouro
- Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis
- Câmara Municipal de Penafiel
- Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão
- RAR- Refinarias de Açúcar Reunidas, S.A
- Serviços Municipalizados de Aguas e Saneamento de Esposende
- Serviços Municipalizados de Aguas e Saneamento de Gondomar
- Serviços Municipalizados de Vila Nova de Gaia
- Serviços Municipalizados de Águas e Saneamento da Maia
- Serviços Municipalizados de Santa Maria da Feira;
- Serviços Municipalizados de Aguas e Saneamento de Matosinhos
- Serviços Municipalizados de Águas e Saneamento de Viana do Castelo
- Serviços Municipalizados de Aguas e Saneamento do Porto
- UNICER- União Cervejeira, S.A
- Vidago, Melgaço e Pedras Salgadas, S.A
 
São Associados Efectivos do IAREN:
- Águas do Douro e Paiva, S.A
- Águas do Noroeste, S.A.
- Águas de Valongo, S.A.
- Águas e Parque Biológico de Gaia, EEM
- Ambisousa
- CMPEA – Águas do Porto
- Cesab – Centro de Serviços do Ambiente
- Câmara Municipal de Barcelos
- Câmara Municipal de Matosinhos
- Câmara Municipal de Vale de Cambra
- LRTM - Laboratório Regional de Trás-os-Montes, Lda.
- Labesfal – Laboratórios Almiro, S.A.
- Serviços Municipalizados de Águas e Saneamento de Viseu
- SUMA 
- Topteste – Laboratório de Controlo de Qualidade e Assessoria, Lda.
- Unicer – Bebidas, SA
- Municipio de Arcos de Valdevez
- Serviços Municipalizados de Águas e Saneamento de Viana do Castelo
 
Baseado no mérito da acção desenvolvida no âmbito científico e tecnológico, foi-lhe reconhecido o Estatuto de Utilidade Pública, com publicação no DR II Série, nº. 167, de 21 de Julho de 2000, tendo o Diploma sido assinado pelo Senhor Primeiro- Ministro, em 27 de Outubro de 2000. É uma Entidade qualificada para os serviços de VALE INOVAÇÃO do QREN no âmbito do Ambiente, Qualidade, I&DT e Transferência de Tecnologia. É também o Ponto de Contacto português e Laboratório de Referência na rede europeia de laboratórios NORMAN. É ainda Sócio fundador da NORMAN Association.
 
Atendendo à preocupação permanente do IAREN, em incrementar o conteúdo inovador e a profundidade dos estudos a que se tem dedicado, convém sublinhar as seguintes actividades, para além da prestação de serviços à comunidade:
- Participação em cerca de 100 reuniões cientificas, com a apresentação de 75 comunicações;
- cerca de 52 publicações cientificas em revistas da especialidade;
- desenvolvimento de 17 projectos de Investigação cientifica;
- apoio à realização de 12 doutoramentos, 17 mestrados e 8 pós-doutoramentos;
- apoio à investigação de Jovens Investigadores, alunos da Faculdade de Farmácia e de Ciências da Universidade do Porto – 12 projectos;
- Cursos de formação Profissional – 50;
- Estágios concedidos – cerca de 150;
- Número de amostras analisadas em 2008 – cerca de 27 mil;
- Número de determinações efectuadas em 2008 – cerca de 200 mil;
- Nº de funcionários – 14
 
O IAREN possui técnicas analíticas desenvolvidas para cerca de 250 parâmetros físico-quimicos, nomeadamente: inorgânicos, nos quais se incluem os metais pesados, e orgânicos de síntese: pesticidas ( organoclorados, organofosforados, triazinas, ureias, carbamatos, piretróides, entre outros), hidrocarbonetos totais, hidrocarbonetos aromáticos policíclicos, fenóis, compostos orgânicos voláteis, ftalatos, compostos organometálicos, BTEX, trihalometanos, ácidos haloacéticos, fragrâncias, resíduos farmacêuticos, estrogénios, dioxinas e furanos, PCBs, PBDEs, alquilfenóis, bem como, parâmetros microbiológicos, em diversas matrizes ambientais: águas naturais, águas residuais, lamas, solos e sedimentos.
 
O IAREN nasceu na Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto onde dispunha de apenas 80 m2. Actualmente, dispõe de novas instalações construídas em Matosinhos, em terreno cedido pela Câmara Municipal de Matosinhos, em direito de superfície, por 50 anos. O suporte financeiro de todos os técnicos que trabalham no IAREN é feito na totalidade pelo Instituto, bem como todas as despesas inerentes ao seu funcionamento.
 
O INVESTIMENTO NAS INSTALAÇÕES FOI DE 1 MILHÃO E 500 MIL EUROS;
 
O PARQUE INSTRUMENTAL ADQUIRIDO DESDE O INICIO DA ACTIVIDADE ATINGE O VALOR DE 2,5 MILHÕES DE EUROS.
 
A aquisição de equipamento de elevada tecnologia, tem permitido ao IAREN a realização de trabalhos pioneiros na área do controlo de qualidade da água onde as técnicas habituais se têm mostrado insuficientes.
 
Em 26 de Dezembro de 2006, foi-lhe concedida pelo IPAC o Certificado de acreditação para 165 parâmetros em várias matrizes ambientais. Actualmente o número de parâmetros acreditados é de 197. 
 
O IAREN foi o primeiro laboratório do País a solicitar uma auditoria de concessão para 165 parâmetros, sendo até ao momento o laboratório português com maior número de parâmetros acreditados nesta área. Foi um trabalho muito intenso e enriquecedor para a equipa do IAREN, que continua a apostar na qualidade, conhecimento e na independência, aliada a uma grande vontade de contribuir para a prossecução dos objectivos estatutários, e para o serviço da comunidade onde se insere.
 
Infelizmente, perante o conflito preço/qualidade, a cultura dominante passa pela valorização do factor preço, o que se revela frequentemente desastroso, pois as consequências da “não qualidade”, mais tarde ou mais cedo, acabarão por vir ao de cima. O IAREN nunca comprometerá a qualidade do seu trabalho com vista a ter preços que possam pôr em causa a credibilidade dos resultados.